23 de novembro de 2010

Mudarei por ti.

Preciso mudar, pra valer mudar,  ironias me afastam do que verdadeiramente amo, do que procuro e não consigo encontrar, já procurei nas gavetas, nos armários do meu subconsciente. Já perdi. Já era. Não existe mais.
agarrado as diretrizes do que é falho, não consigo me reconstruir, por isso clamo por restituição, clamo como se a casa pegasse fogo, e eu estivesse cercado pelas chamas, pelos problemas, pelos olhares.
Preciso mudar, sem reservas amar. Caminhar na praia do teu ser, e correr, me perder em tuas areias, e agarrar, sentir o cheiro dos teus cabelos encaracolados.
Menina morena, meu coração manda recados pra ti todas as noite... e não tem retorno, não tem respostas.
Até quando machucará meu tolo coração? Ah, Morena! deixa eu te amar. sei que sou básico pra ti, e que é o excesso pra mim.
Mudarei, te amarei, renunciarei o mundo por ti, minha arrogância,  meu orgulho, sem apuros... tudo, tudo por que preciso que me ajude a manter meu caminho, sem espinhos, mas com arrepio que só teus beijos podem trazer ao meu corpo desprotegido, com suspiro.
Morena... és flor, as águas te querem, não fujas de mim...
o coração pede pra te amar...