26 de novembro de 2010

Ela nunca deveria existir - Saudades.

No peito um sentimento, e a saudade estacionada aqui causa revolta, deixando a gente com a cara de quem acordou agora.
A saudade não deveria existir, causa dor interna e aprisiona o órgão que bate forte.
A saudade do amor perdido ou daquele que ainda nem aconteceu é algema, forte corrente da distância que marca nosso pulso. Deixando em nós sintomas de nunca mais vamos nos vê.
Sabe de uma coisa a saudade tinha que ser banida da estrutura humana. você não concorda? Eu prefiro assim.
Ela vem da perda, da distância, do longe, do nunca mais, da partida, do talvez, do arrogante coração que não se entrega de vez a uma paixão, mesmo que escondida, prefere nunca tentar.
Procurei no dicionário o teu significado  e achei :
"Tu és a ausência do amor, a distância já perdida e a solidão bem presente."
Pra mim és a madrasta da companhia arrojada, sempre calma, sempre amada. Que nunca saberá o valor das mãos unidas com o tempo.
Ela me pegou de jeito agora...
"Saudades, doce saudades de ti. Minha amada, meu jardim."
"Tudo estava em ti, e eu perdi."
Apenas sinto saudades do que já se foi, e não volta mais, como as águas. Como o primeiro voo de um pássaro. Como a primeira volta de bicicleta. Como o primeiro relacionamento.
Tudo se vai, como o vento sem o teu alento, e o que permanece é a dor, o pavor e novamente o coração está sozinho do lado do frio, lembrando com saudades do arrepio, do primeiro beijo que dei em ti.