24 de novembro de 2010

A criança e seu castelo.

Sentado nas areias do pensamento, uma criança admira as ondas que vem e vão. Ela é muito pequena para saber o porquê das coisas, mesmo assim não se reserva a admirar o vai e vem das grandes ondas. Ela chega mais perto das águas. Começa a construir uma pequeno castelo, ela gostaria de morar sozinha em sua obra de engenharia, mesmo sozinha ela insiste. Pega seu balde, sua pazinha e começa a edificar uma morada para si. E assim o vez, levantou um grande castelo de areia – que aos olhos do adulto era pequeno.
Após algumas horas, a criança adormece. Como o dia estava com muitas nuvens no céu, ela adormeceu. Estava protegido em seu sonhos, o pequeno ser se contentava com o pouco. De repente uma brisa soprou sobre o corpo da criança, que despertou. Percebeu que algo não estava no mesmo lugar, a seus olhos o grande castelo não estava em pé. As ondas haviam levado os sonhos da criança. Haviam destruído horas de criatividade, de zelo, de carinho. Sentado na areia com os braços cruzados uma lágrima rolou na pequena face, na rechonchuda face do ser pequeno. Na quela hora dava uma dor imensa no peito ao ver a criança desamparada, sozinha.
Ela não tinha mamãe,
Ela não tinha um lar,
Ela só possuía uma peça de roupa,
Tudo que ela tinha era as areias da praia dos pensamentos, e agora aquele imenso mar que a divertia nas tardes de Outono, agora tinha levado sua habitação, sua casa, seu tudo.
Algo não está mais no mesmo lugar, o coração da criança.
Sem ninguém para ajudá-la ela chora, soluça e chora, com fome chora, pois percebeu que não tem afeto, que o mesmo céu azul de todas as manhãs é o mesmo que chove sobre ela. Que o mesmo sol que faz seu dia mais luminoso, é o que queima sua frágil pele de criança. Sendo assim ela chora. Esperançosa chora, sem o papai, sem a mamãe, sem você.

Será que você leitor pode abraçar a criança?
Doar seu lenço à ela?
Repartir teu pão diário por ela?

Algo não está no mesmo lugar, não é?
Podes amar o pequeno ser?
E ajudá-lo a construir seu grande castelo longe das ondas que vem e vão?

Algo não está no mesmo lugar, não é?