2 de fevereiro de 2011

Paro



enfrente a simples porta, minha mãos vão em direção a massa neta,


abro-a, ouvi atentamente que era o som de acordes de piano, que por


sinal eram belos, eu nunca tira ouvido acordes tão belos e tão


preciosos, me levavam rumo a sensação de pureza total. À medida em que


eu caminhava, em direção ao centro da sala onde estava um piano de cauda


com detalhes em ouro, meu coração pulsava, a emoção tomou conta, não


conseguia me conter, e voltava a dançar… Livremente dançar. Notas


limpas e reluzentes enchiam o ambiente.