3 de fevereiro de 2011

"Conte-me.

Sílaba por sílaba, e frases preenchem as linhas de um destino, do copo de chá na mesa, da preocupação, do crachá no pescoço e de tantas anotações no braço, na face."