12 de fevereiro de 2011

"E somos as respostas das interrogações, a soma de um código numérico infinito, levado pela escrita dos céus. Somos a casa de muita gente, repouso para o cansado, a luva que se encaixa perfeitamente com o próximo.
A aliança no dedo do noivado, a certeza e convicção do que  não se espera. A esperança viva, limpa na peito. O alicerce do existente!"