7 de fevereiro de 2011

...Sobe da terra seca um clamor, e na tradução dos ventos uma canção. Nos desenhos do vale a escrita aparece, meu ser se revela. É natural se aproximar do que não tem nada haver, da síndrome do saber, do latejante que discorda do outro, do fracasso esculpido nos traços dos argumentos improvisados, já relatados em pauta da reunião extinta, nunca aplicada.