9 de janeiro de 2011

Uma peça

Não tenho tudo que eu quero.

Tenho o meu passado e o meu presente.

O futuro está nas mãos do invisível, tenho que conquistá-lo em cada passo que eu der.

É difícil tentar encaixar uma peça de um grande quebra-cabeça quando não se consegue enxergá-la e ao mesmo tempo que se tenta mais complicado o enigma se apresenta.

Confesso que preciso de ajuda.

Preciso de uma mão.

E Tirar meu olhos de minhas aflições sentimentais e me aprofundar no oceano dos olhos abertos e quanto mais eu me envolver nessa onda, mais abertos meu olhos permanecerão, mais cheio de vida estarei, em minhas veias correrão a coragem necessária para os meus ossos continuarem e pé.