30 de janeiro de 2011

Sentir,
Saber que irá bem de alguma forma.
Tocar,
Neutralizar as palavras erradas do vocabulário da angustia.
Salpicar,
O desejo da língua, que na ponta revela sua sutileza.
Explorar,
O caminho sob o qual me conecto sempre.
Reverberar,
Os barulhos dos pés que querem ficar.
Respirar,
E ter a sensação que a qualquer hora, o incrível explodirá.
Remediar,
A dor crucial do interior com os pensamentos vãos.
Absorver,
Como guardanapos, a tua voz, teu sorriso, teu calor.