21 de janeiro de 2011

Ela

Ela eternizou os meus sonhos, soprou em minhas narinas.
Doce Manuela
Canela...
Uma flor de muleca, nos jardins de outono ela era quem nos alegrava com sua beleza.
Agora no vento, na folhagem, em cada pétala.
O teu cheiro, teu frescor, tua boca...
Teu calor!