16 de março de 2011

Pedaços do querer.


Absolutamente,
na frieza que desagua, no refrigério transparente.
Captar,
as onda e guardá-las na garrafa, em minha geladeira interna.
Sugar,
tuas mãos, tua camisa preta, tua calça jeans.
Fé,
pra ir além, acreditar muito em você, tocar tua face.
Realmente,
granpear tuas páginas, cada script teu, pra não esquecer tua voz, teu canto, tua suavidade.
Mapear,
nas costas do amanhã as perspectivas de um futuro só nosso, entre eu, entre tua existência em meu sofá.
Comprar,
todas as revista, tudo que possa soar teu nome, já tentei, porém não consegui.
Experimentar,
incansavelmente teu beijo, teus lábios, tuas respiração ofegante.
 Ter,
você preso em meus braço, no chocolate, meio amargo.
Repetir,
Tudo de novo e querer mais, muito mais!