4 de abril de 2011


O mundo pode não te notar, as pessoas podem permanecer frias ao teu redor.
O fôlego pode cessar, e não existir vocabulário em teus lábios.
Todavia eu ainda sou o teu tesouro, o ser presente, a tua esperança menina...