2 de agosto de 2010

Liberta-me!


Tranquilidade,
sons energizantes.
Aprendendo
a ser manso, humilde de coração.
Entregando
as cargas, os fardos,
as
águas quietas são mais tranquilas, acalmam o meu espírito com seu
cantar.”




       Ao som do
mar, ondas batendo sobre as rochas. Um detalhe, a praia está vazia,
sem ninguém, nenhuma alma presente, apenas a minha, o meu Eu. O
cinza colore ao redor, as gaivotas voam, à procura de alimento, não
encontram, desaparecem. Agora apenas Eu e o som das ondas, O Artesão
do céus olha pra mim, observa-me, de seu esconderijo de Luz,
chama-me, estou em sintonia com ele, conectado, ligado plenamente.
Uma corrente de amizade, de dias, de anos, de eternidade. À única
força que tem poder de levantar-me, de quebrar minhas algemas,
preencher vazios, neutralizar o escuro, vem Dele. Está Nele.


      Gestos,
preces, orações, porções de fé, fortificante, fonte de energia para a caminhada, na praia, no solitário,
eleva-me. Subo às montanhas, como pássaro livre, como águia,
forte, destemido. Vejo de lá de cima, olho a praia, as ondas, ouço
os sons energizantes, meu Eu está lá, aprendendo, alimentando-se do
escondido, do secreto, do sagrado. O Artesão dos céus. Decidi.
Determina em seu coração, abraçar-me com paz, com alivio,generosidade.
Salvando-me das trevas, do escuro, do vulto. Fardos levados pelas
águas, cargas retiradas, das minhas costas, dos meu ombros, dos meus
pés, do meu ser.
       Liberta-me,
liberta-me, liberta-me, vem sobre mim. Sempre tão manso, humilde,
amoroso! Essa é a declaração da minh'alma, sabendo eu que minha
vida pertence a Ti, de forma plena, de Corpo e Alma. Estou na Praia, na decisão, na ligação,
estou em mim...
       Liberta-me!