13 de agosto de 2010

Agora tenho a plena certeza que sou o sabor em teus lábios.
A cobertura da sobremesa que teu querer saboreia, um compasso de colher, após colher, o teu desejo me consome.
Bem estar deveria ser o seu nome, completamente derretido, na língua, no extremo da alma, na divisa entre querer e estar.
Sem par, mas com impar, absolutamente com rima, na vontade no canto da boca.