16 de agosto de 2010

Saudades.


Olho para o meu interior e vejo você. Sua imagem está fixada em mim. Anexada de tal forma ao meu lado que reflete carinho concentrado. Pego-me distraído pensando na possibilidade de te encontrar. Poderia ser mais fácil, mas não é. Vejo seu rosto refletido sobre as águas, vejo você em forma de palavras descritas em papel. Admito que sem você meu mundo ficará vazio. Perco-me no cenário de hoje. Perco-me nos dias revelados no calendário. O itinerário da minha vida mudou, pois você chegou na hora certa. Sem falar, que nosso elo está firmando dia após dia. 
O teu abraço deve ser quente, ainda não o senti, o seu olhar deve ser o mais penetrante, pois arrepio-me por dentro, quando falas no meu ouvido tenho a sensação que o instante se paralisou. Sua presença deve ser excelente, pois a vilã distancia insiste em nos deixar longe um do outro, ela insiste em nos deixar ansiosos ao extremo, de  forma plena nos prende em sentimentos demonstrados em gestos. Chego a seguinte conclusão:



...Se tu és sol, então aqueça-me,
se tu és luz, ilumina-me,
se tu és ternura, olhe pra mim e sorria,
se é presença, abraça-me. E certamente me esconderei em Ti...