20 de setembro de 2010

Rotina


A gota cai
O sorriso esmorece
cerra o punho
Corta do laço
Abre o presente
Risca a faca
cruza os dedos
A chuva molha tudo
o Sol seca o molhado, o mofo
tenho que comprar pão
o banho me espera
a cama é refúgio
tenho que seguir
o caminho estreito
uma jornada
uma estrada
um copo de água
o suor desce
se perde tudo que almejava
os olhos se escurecem
a saudade permanece
o beijo retorna
quero uma xícara de café com leite
biscoito de maizena, talvez
um cobertor bem quente
a sua atenção
meu trabalho
meus estudos
minhas teses
minhas conclusões
minhas emoções, são meus paraquedas
o céu me aguarda
se revela na última lágrima

Tudo é vaidade...