28 de julho de 2010


O copo vazio, sem água, sem líquido, sem nada.



Nem se quer a sede mata.


É inútil, é objeto sem valor, não serve pra nada, consequentemente largo na escada.


Assim é a mente vazia. Deserta. Sem propósito.


Assim é a mente do tolo, daquele que não possui a capacidade de sentir, que não sabe calcular o valor do ser apaixonado, e da mente preenchida com uma dose de abraço apertado.