23 de julho de 2010



                                                                                     
...Fone no ouvido, músicas.
Ritmo que nos leva rumo a uma viagem, uma descoberta.
Sintonia, acordes, pausas.
O silêncio se faz presente, o ambiente já não é mais o mesmo...”

      O que faz seu coração pulsar? O que fazem seus pés se movimentarem? Que acorde deixa seu corpo arrepiado? Isso tem tudo haver com a dança da Vida, com a sintonia deixada por Ela, durante nossa estrada. Permita-se ser acalmado por ela, direcionado talvez, o importante é não perder tempo á toa. Componha algo bom, excelente, magnífico, de sonoridade de tirar o fôlego. Escreva uma partitura particular, com suas notas preferidas, agudas e graves, meio tom acima pra equilibrar os pensamentos, as atitudes. Dedilhe comportamentos. Transponha com rapidez, de forma fascinante as imaginações. Escolha a clave correta, para não cometer erros futuros. Seja maestro da tão preciosa Vida, pause quando preciso for, quando a orquestra errar, quando precisar mexer em alguma coisa, arrumar falhas, discutir mudanças, reviver os impactos grandiosos, desta forma toque assim durante seus dias:

“Dó- para os dias tristes, de solidão, de pó, de lágrimas,
Ré- para os dias sem graça, de folhagem no chão, sem ação,
Mi - para os dias de estresse, de conflitos, de olhares,
Fá- para os dias surpreendentes, dias de aniversários, de abraços, de parabéns pra você, de data querida!
Sol- para os dias quentes, de sede, de sombra, de água, de brisa,
Lá- lá para os dias de canto, de voz, de sussurro, de criatividade,
Si- para os dias de possibilidades, de chuvas, de ventos, de amores! ”

Que tal, uma boa companhia pra ajudar na escolha do repertório? Uma voz doce faz toda diferença, sabia?  Pegue papel e caneta, pegue seu violão! Vamos começar pela nota Fá# (Risos)