1 de outubro de 2010

Necessidades... - O menino e o sorvete.


“A fome e o abandono estão empreguinados na face carente do ser desamparado, que faz do seu abrigo seguro as sarjetas e calçadas da Rua Barão de Itapetininga no centro de São Paulo.”



O pequeno ser está com medo - Lhes dão xingamento.
O pequeno ser está com fome - lhes dão chute.
O pequeno ser está com sede - Lhes dão água com desprezo.
O pequeno ser está sem abrigo – lhes dão o jornal de ontem pra que se cubra.

Saindo de um estabelecimento um rapaz com um sorvete na mão está distraído. A voz desprezada de um menino o segue entre a multidão. A voz esquecida lhe pede ajuda por três vezes.
- Tio se sobrar um pouco do sorvete deixa pra mim...
O rapaz estava com fone no ouvido e não escutou direito o que o menino dizia. Mesmo assim o ser desamparado desprovido de comida e abrigo insistiu. O menino vestido pelo sujo queria que sua necessidade fosse suprida, mas alguns passos e a voz tremula continuou a sussurrar:
-tio dá um pouco de sorvete...
O rapaz logo percebeu que estava sendo seguido pela voz do desprotegido, pela voz do órfão que só conheceu a mãe Rua para se proteger. O rapaz que acabara de comprar o sorvete e só tinha levado à boca apenas duas colheres, deu ao menino todo o seu precioso sorvete, que agradecido voltou ao cenário de agonia e medo perdido entre a multidão de corações de pedras.


Pra si pensar:
Será que alguém viu o gesto do rapaz?
Será que em meio à multidão do centro de São Paulo, alguém viu ou sentiu a fome do pequeno ser?
Quem poderá recompensar os dois?

A resposta terá se olharmos para o alto, para os céus. É de lá que vem a recompensa dos justos e de quem ouve a voz do necessitado.