11 de julho de 2011

No que acreditar ?




Acreditar no tempo que leva consigo o resultado, e nessa experiência as mãos renascem.
E nesse passatempo das coisas a criatividade se banha nas águas do crer, e se enxuga com a convivência e o trabalho realizado.
Acreditar no tempo, pois ele é a razão de existirmos, é uma expressão acidua da arte criada, é a subida da fragilidade com o que acabou de nascer, da mente, do ser.
Acreditar no tempo envelhecido, no rasgado, no convidativo. E nesse rabisco é que se evolui para a satisfação, para o excelente, é o que atrai a menina dos olhos.
Acreditar no papel em branco que o tempo nos oferece. 
Nas somas que os nossos números ostentam. 
Na grandeza do saber criativo.
E nessa timidez a mão não para de criar, de rabiscar. 
Uma aquarela de entusiasmo, uma mente que acredita com o passar do tempo...
Indesistivelmente acredita.