8 de agosto de 2011

Amparo...

(...) eu ainda não sei definir você, 
já me distraí com teus passos na areia.
Minha boca já clamou por uma mordida em tua pele morena.
As mãos que já lhe tocou um dia, hoje apenas rabisca em folha em branco, tentando encontrar o teu contorno, a tua curva perfeita.