6 de dezembro de 2010

Um dia vc existiu

Eu tinha a plena certeza que a luz do teu olhar conseguiria banir minha escuridão temporal.

E minhas fantasias fariam parte das páginas de tua vida, com alegria, com entusiasmo.

Sem saber por onde andar mostrastes a estrada estreita no sertão de meus pecados, ao nordeste dos sonhos realizados, tudo era constante, parcelado em fragmentos da decisão bem sucedida.



“O céu está mais azul, mais sonoro, mais audível do que nunca.

Acordes circulam sobre nós meu amor...” - dizia o coração apaixonado.



O meu tolo coração ainda acredita em contos, em sussurros ao pé do ouvido, ainda acredita nas palavras do teu ser, que saem da compreensão de dois sentimentos que estão em cima do muro, do lado sul da ironia da tua língua. Mesmo sabendo que não devo dar-te ouvidos, o meu ouvido ainda esculta tuas palavras e as “guarda na caixinha de segredos do coração permanente.”

Um dia aprenderei que atalhos para o amor podem trazer perigos constantes e caminhos direcionados pela pessoa errada causa sangramento na alma e morte do espírito.

Um dia não cairei na armadilha do Te amo precipitado, e não deixarei angustiado o órgão que pulsa por viver pra ti.

Um dia criarei imunidade, anticorpos contra tua presença inesperada e teu querer não contagiará meu corpo, não cairei em tua lábia, não cairei mais em ti.