3 de dezembro de 2010

Tropa de Elite 3

Tem toalha na mesa, pão e leite
O jornal recém comprado, traz a notícia
Do que aconteceu, do que irá acontecer
A onda de informações levanta grades
Não deixa o pai de família sair de casa
para o trabalho, para o labor diário
Que traz honra e satisfação
A mente produz ousadia
Faz com que o pai de família saia de casa
Um beijo na esposa, um abraço no filho
A porta bate, o “Adeus fica”, e o “Deus te acompanhe” vai
Lá fora incertezas, concretos, barracos
Vielas, becos, escadas, a decida é perigosa
Ele insiste, ele vai... precisa ganhar o dia de trabalho
O morro está cercado, o filme “Tropa de Elite” ganha vida real
O pai de família continua, tem medo da bala perdida
De deixar seu filhos órfãos e sua esposa viúva
Descendo o morro ele se apega com o grande, com Deus
Faz o sinal da cruz, sua proteção
A polícia pacificadora está aos milhares
Armas são a proteção do filho do homem
Bandidos, traficantes, milícia do mal, fogem matagal á dentro
Uma mansão no meio da favela, o seio do traficante é encontrado
O pavor está no rosto do inocente, do sem culpa
Tiro após tiro, um corpo é acertado
Corpo de trabalho, corpo de honra, corpo que ama sua família
Um tiro, tira a vida, traz a morte
O pai de família não chega aos pés do moro
Não consegue concluir seu trajeto ao trabalho
Deixa seu lar, sua esposa, seus filhos
Deixa a dor, deixa a sede de justiça
Deixa interrogações, perguntas e perguntas
De onde saiu a bala que acertou o inocente?
Do traficante ou do militar?
Do que gera a guerra ou traz a paz?
O que se sabe é: uma alma foi sacrificada, sem nada dever
O que será de nós !
O filme “Tropa de Elite 3” está no ar.