25 de junho de 2013

Páginas 12 e 22


























A Língua se invoca  com a textura do ontem, e discorrer já era uma escolha que não tinha muito haver com o presente, dessa forma se acostumou com o tudo demostrado entre as páginas 12 e 22, segredos sob os quais eu nem ouço falar. A Língua se torna misteriosa com o tempo, com os dias... Preocupo-me em olhar para ela, já a encarrei por demais, e hoje, olhar para ela me custa muito, me explora muito. A Língua me entrelaça.