26 de junho de 2012

Acordando


















Na amplitude de um aconchego repentino, não fui eu que tomei uma atitude precipitada, nem era aminha intensão colhe-las de apto e nem arranca-las desse teu peito desprotegido.
Sonhei, e confesso que sonhei com as tuas cantigas, com teus ventos mais precisos, sonhei com as crianças que nos rodeariam futuramente e se assentariam em nossa mesa.
Mas, há uma responsabilidade imensa que nos acordem, há de fato uma gentileza burra de nos acordarem do sono tranquilo, e de nos resgatarem dos nossos sonhos mais íntimos, foi por isso que não consegui realiza-los.