24 de maio de 2012




Conhecer é libertador!  E absoluto na nascente da curiosidade infanto-juvenil que todos nós carregamos; que todos nós temos. É um descobrir inusitado que dá gosto à vida, não passa de preces de crianças a procura do invisível, já que lhes disseram que o papai do céu mora longe, e por isso as orações deveriam ser longas para serem escutadas por ele. Por isso se não conhecemos as verdades nos tornamos escravos de uma ignorância mesquinha e envelhecida aguardando a morte chegar. Que dó. Que dó me diz. Deveríamos sempre dizer a verdade e não enganarmos a nós mesmos com rótulos, pois orações curtas também têm seus efeitos, e esses feitos nos salvam em tempo oportuno, em revoltas, em beira de rio, em curva de rio, muita coisa nasce pra todos, o absoluto é um deles, a água que banha teu corpo nu, a sensação que arrepia a pele, o sopro no pescoço, a fusão do querer e do está perto. Pois, eu já tenho o divino que cuida de mim, agora preciso da presença humana, o cuidado, a pele morena.  Sei que é difícil encontra-lo, mas sei que ele existe, almejo encontra-lo nos lábios de uma prostituta ou em algo profano, tudo o que eu quero é a verdade, tudo que eu quero é a oração curta.