18 de fevereiro de 2017

Lendo o outro.

Calmo, líquido e sinestésico, ele buscava o silêncio das coisas. Tinha alguma razão para procurar o repouso.
Calado como sempre, ninguém o interpretava, conseguir alguma coisa dele não era fácil.
Rápido no olhar, e com ligeireza nas pálpebras  lia as pessoas, nos gestos, nas intensões, no verbo.