11 de janeiro de 2013

Caos matutino


























E mais uma vez me encontro, estou perdendo-me em palavras e em cada verbo que pronuncio uma certeza que devo acreditar na tão sonhadora esperança, e maravilhosamente percebo a vivência de tudo isso, de cada lugar a mesa, de cada garfada, de cada traição.
 E isso tudo coopera para que eu durma de olhos bem abertos, para que ao mesmo tempo que  mergulhe em sono profundo, também seja eu capaz de me defender no desperta repentino de cada dia e não seja surpreendido com o caos de tua fala.