3 de agosto de 2012

Cladestinidade caótica



















Mudanças são inevitáveis, eu sei disso. Vento involuntário não se desvia, aparentemente devo aguentar. Por isso, que costumo subir colinas verdejantes salpicadas pela a alegria das manhãs, dos cantos que rasgam minha tímida maneira de observar o horizonte a minha frente, ato esse mais audacioso que muita gargalhada falsa embutida em raízes clandestinas de um imaginário caótico e medíocre.