27 de abril de 2012

O meu




Em vista pelo não se ter, o meu ver não é mais predestinado, é empurrado por água a baixo, sem ao mesmo eu querer, sem ao mesmo os pulmões se encherem de ar.